MENU
TwitterFacebook
SEÇÕES

Posted on 28/maio/2017 in Pronto, falei!!, Slide

Mais uma parte da história de Cotia destruída pela especulação imobiliária

Mais uma parte da história de Cotia destruída pela especulação imobiliária

Lançado com toda pompa neste sábado (27) e com direito a show do cantor Toquinho, o Terra Nobre Granja Viana, que fica na verdade no km 37 da Raposo Tavares,  divisa com Itapevi (do outro lado está a região do Atalaia e do Mirante,  periferia de Cotia) enterra mais uma pedaço da memória da cidade que um dia foi das rosas. (E só um parênteses, só para que todos se localizem, vale lembrar que a Granja Viana assim como o Atalaia é uma bairro de Cotia e  não uma cidade).

“Planejando o futuro” é o slogan da campanha publicitária do empreendimento que destrói e apaga o passado.  O local, que abrigará um bairro planejado pela construtora Godoi, era o Sitio do Padre Miguel que abriga uma história oculta de Cotia,  que foi contada pelo meu colega Lumi Zúnica em 2007 no cotiatododia e também integra o livro “Uma breve História de Cotia”, escrito por Cris Oka em 2013.

Vista externa da Capela no Sitio (Lumi Zúnica/CTD)

Tumulo da escadaria que estaria reservado para enterro do Pe. Giovanni(Lumi Zúnica /CTD)

“Muitos mistérios rondam a verdadeira história Sitio do Padre MIguel que pertence à Associação dos Servos de Jesus Crucificado”, escreveu Lumi Zúnica no cotiadodia.

Eu os convido a conhecerem essa história (e com isso relembrar também como era o cotiatododia com pouco mais de um ano de existência), clicando no link abaixo.  Esse link somado ao livro da Cris Oka é tudo que restou do local além das lembranças dos moradores mais antigos da cidade que também se apagam com desfecho natural da vida…

Já nessa época, o meu colega sugeria que embora o local fosse uma área particular poderia, em nome a memória da cidade, ser tombado ou transformado, por exemplo,  em um museu, mas isso não ocorreu. Como não ocorreu com a área da Cooperativa Agrícola de Cotia, com a Roselândia, com o Frigorífico de Cotia, com o Arakan e que se não prestarmos muita atenção pode ocorrer até com os casarões bandeiristas Sitio do Mandu e Padre Inácio…. Isso sem dizer que o maior patrimônio da cidade, e um dos maiores do Brasil porque é tombado pelo Patrimônio Histórico e reserva da Biosfera, a Reserva Florestal do Morro Grande, vem sendo picada aos poucos.

Conheça a história:  Sítio do Padre Miguel abriga história oculta de Cotia

Vista interna da Capela (Lumi Zúnica /CTD)

Pia Batismal (Lumi Zúnica /CTD)

Aqui jaz o Sitio do Padre do Miguel e com ele parte da história de Cotia (Reprodução)

É o famigerado progresso que toma conta da nossa cidade com a chancela dos poderes constituídos. E claro, com a nossa chancela também porque fomos nós que escolhemos quem pode decidir isso por nós.

Como diz a música do Roberto Carlos, “não sou contra o progresso, mas apelo para o bom senso”. Que preço temos que pagar por isso? O que vamos deixar para nossas crianças? É esse tipo de planejamento de futuro que queremos?

468 ad

5 Comments

  1. Triste mesmo Sonia…Pe Miguel foi uma figura interessantíssima da história de Cotia e seus bens – porque era de família de posses- foram parar em mãos desconhecidas. A posse do local a que vc se refere na matéria era questionada, por tratar-se de uma associação que ninguém sabia bem quem era o gestor.

  2. Uma pena que a historia de Cotia continua a ser destruída. O conceito de Cultura e História têm que ser revisto por nossas autoridades.

  3. Pior será os mais de 1500 carros na Raposo que já não suporta mais nada, sim pois morar naquele descampado com os retornos há 02 km e sem acesso a mais nada , só de carro mesmo .Morar no meio do nada. Só para louco !

  4. Cris Oka, sou sua fã pelo trabalho que fez qdo estava na secretaria
    De Turismo de Cotia … Parabéns, Sonia pela matéria !!!

  5. Esses grandes empreendimentos deveriam e poderiam preservar esses patrimônios culturais

Post a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *