Pages Menu
TwitterFacebook
Categories Menu

Posted on 28/julho/2017 in Pronto, falei!!, Slide

Vamos esperar uma tragédia?

Vamos esperar uma tragédia?

Acidentes acontecem, é verdade. Por erro humano, por fatalidade, muitas vezes por imbecilidade, por incompetência, inexperiência… Enfim, acontecem por vários motivos.  Alguns podem ser evitados.  Alguns transformam em tragédias que deixam marcas para sempre, matam pessoas, destroem sonhos, carreiras,  famílias…

Tô escrevendo tudo isso pensando no acidente que ocorreu nesta quinta-feira (27) na pista de pouso na altura do km 40 da Raposo Tavares. A aeronave, que pertence a Paulino Nascimento e era pilotada por ele mesmo segundo informações divulgadas pela imprensa teve problemas no momento do pouso, atravessou a pista e caiu no barranco. Além de Nascimento havia mais uma pessoa a bordo, mas ninguém ficou ferido. Por sorte ou muita habilidade do piloto que tem 20 anos de experiência segundo informações da imprensa.

Esta foi a segunda vez que uma aeronave  deste porte tem problemas e vai parar no barranco. A primeira vez foi em 2011, o avião com duas pessoas a bordo pegou fogo mas ninguém saiu ferido.

Ocorre que logo abaixo do barranco, que fica no final da pista, está a escola municipal Ernesto Benedito de Camargo, sim, pessoal, uma escola que estava em horário de aula no  momento do acidente, por volta das 16 horas. Por pouco, por muito pouco, por duas vezes não ocorreu uma tragédia ali.

Eu não sei dizer quem chegou primeiro, se a Escola ou a pista de pouso. Também não entendo muito, ou melhor, não entendo nada de aviação. Mas minha mínima inteligência me permite dizer que as duas coisas  – pista de pouso e escola – não combinam, não deveriam estar tão perto, estamos falando de crianças, meu Deus!

Vamos esperar que uma tragédia aconteça para gritarmos, protestarmos ou tomarmos providências? Quem está no lugar errado? A escola ou a pista de pouso? Isso agora é o que menos importa pra mim. Só repito que as duas coisas não podem ocupar o mesmo espaço. Eu não sou normalmente pessimista, mas os acontecimentos – duas quedas  de aviões no mesmo local num período de 6 anos- pode ser um alerta.

Reprodução Rede Globo

468 ad

3 Comments

  1. Ou a escola, ou o campo de pouso, deve sair dali. Pelo visto, a pista é muito curta. Aviões precisam de muito espaço para pousar ou decolar. Tá tudo errado naquele local.

  2. Coberta de razão. Há algo muito errado aí.

  3. INTERESSANTE! NA HORA DO FATO MENCIONEI NO FB E NINGUÉM COMENTOU???
    PORQUE SERÁ? NÃO SOU JORNALISTA!

Post a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *