MENU
TwitterFacebook
SEÇÕES

Posted on 19/outubro/2017 in Slide

Estandarte Rubro – Uma homenagem aos jovens revolucionários!

Nestes tempos em que as classes em luta sacam suas armas à luz do dia, não existe neutralidade. Na verdade, nunca existiu. O artista que se pensa neutro é um ingênuo. Eu tenho lado, sou um revolucionário. Antes mesmo de um artista revolucionário, sou pura e simplesmente um revolucionário. Não há meio termo nesta questão. E a revolução, que habita meus nervos, por vezes se expressa em canção. Ela, a bem dizer, está em cada verso e nota, as vezes escondida, as vezes manifesta. Quando canto a luta pela revolução ou quando canto o amor, que são pra mim o mesmo.”

O trecho acima é do amigo Vinícius Camargo, que eu tive o privilégio de conhecer tempos atrás, em Cotia. Rapaz talentoso. Arquiteto. Mas seu coração batia mesmo era pelas artes, pela poesia, música, dramaturgia.  Um revolucionário destes que a gente tem orgulho e enche a boca pra dizer, “eu o conheço”. Dono de uma voz belíssima e de uma sensibilidade sem igual. Tive a honra de participar do lançamento de seu primeiro CD “Em risco”, num palco acanhado de Cotia, o que não fez a menor diferença perto do seu tamanho talento.

E logo Cotia ficou pequena demais e ele ganhou o mundo. Hoje só consigo acompanhá-lo graças ao Facebook que tanta gente critica por nos deixar meio burros e alienados, mas é também um importante meio pra nos manter perto de pessoas que a gente curte ter por perto mas está longe.

Enfim, aí apareceu na minha time line o vídeo de mais uma de suas belíssimas obras e compartilho com vocês. Copiei na íntegra o texto que ele publicou para apresentar a canção, e acho que ele não vai ficar bravo por isso.

“Este mês marca o centenário da Revolução Russa. Nesta canção, homenageio os jovens que tomaram a cena política no Brasil nos últimos anos e lançaram “no ar um perfume / daquele outubro”. Aos que em junho de 2013 entraram na luta por um futuro digno. Aos que em novembro de 2015, se batizaram na luta de classes, ocupando escolas. Às Mães de Maio, combatentes contra a repressão do Estado contra nossos jovens, nosso povo. Aos que, em meio a tantos ataques, não baixam a bandeira vermelha, nosso estandarte rubro.

Esta canção foi inicialmente inspirada pela luta de meu amigo e companheiro Pablo Bailoni, intensamente perseguido após as ocupações de escolas. Dedico a todos os jovens da Liberdade e Luta e a todos aqueles que lutam conosco, em suas mais diferentes tradições de pensamento, pela revolução.

Viva a Luta dos Trabalhadores!

Viva à Revolução Socialista!”

Obrigada, Vinicius Camargo!

468 ad

Post a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *